Bem vindo ao Adapt-Free   Click to listen highlighted text! Bem vindo ao Adapt-Free

Notícias Adapt-free

As Paralimpíadas – Esportes da inclusão

As Paralimpíadas, maior evento esportivo para pessoas com deficiência do mundo, reune atletas de diversos países que são exemplos de desempenho e determinação.

Também chamada de Jogos Paralímpicos, as Paralimpíadas ocorrem de quatro em quatro anos desde 1960, primeiro ano de sua realização, e contam com a presença de competidores portadores de deficiências físicas ou mentais.

Nesse contexto, o campeonato surgiu como uma espécie de alternativa terapêutica para os efeitos da segunda guerra mundial que aconteceu em 1945. A história mostra que esse conflito resultou em ferimentos gravíssimos para diversos soldados que atuaram no combate e como solução o neurologista Ludwig Guttmann prescreveu uma reabilitação que envolvia como fator determinante o esporte, elemento que trazia benefícios físicos e psicológicos para seus pacientes.

Tal conduta resultou na criação das Paralimpíadas de Verão que continuam sendo realizadas até os dias atuais ocorrendo sempre duas semanas após os Jogos Olímpicos tradicionais.

Nessa perspectiva, o Brasil iniciou sua participação nessa competição em 1972 e desde então acumulou 302 medalhas nos Jogos Paralímpicos de Verão, sendo 87 de ouro, 112 de prata e 103 de bronze, ocupando a 19a colocação no ranking baseado na quantidade de medalhas.

Em relação às modalidades, as Paralímpiadas contam tanto com categorias adaptadas do esporte tradicional quanto com modelos criados especificamente para pessoas portadoras de deficiências, cada uma delas com divisões próprias de acordo com o nível de deficiência dos atletas, proporcionando disputas justas e equilibradas. Sendo assim, os Jogos Paralímpicos de verão contam com vinte e duas modalidades, as quais incluem:
atletismo, badminton, basquete em cadeira de rodas, bocha, canoagem, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, goalball, halterofilismo, hipismo, judô, natação, remos, rugby em cadeira de rodas, taekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, tiro com arco, tiro esportivo, triatlo e vôlei sentado.

Paralelo a isso, a versão de inverno da competição estabelece cinco modalidades em sua estrutura: esqui alpino, esqui cross country, biathlon, hóquei e curling em cadeira de rodas.

As Paralímpiadas possuem, portanto, grande importância não apenas no desenvolvimento do esporte nacional brasileiro mas também na integração plena das pessoas com deficiência na sociedade, contribuindo para a visibilidade da luta desses indivíduos em busca de seus direitos e oportunidades
objetivando a redução das desigualdades e a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária, assim como determina o espírito olímpico.

Compartilhe

Accessibility
Click to listen highlighted text!